Assembleia

sexta-feira, 23 de junho de 2023

Anna Carolina Jatobá vai para o regime aberto e deixa prisão 15 anos após matar Isabella Nardoni

 



Ela foi considerada culpada pela morte da enteada, em 2008. Alexandre Nardoni, o pai da menina, também foi condenado e continua preso.

Anna Carolina Jatobá, condenada por ter matado, em 2008, a menina Isabella Nardoni, deixou a prisão na noite de terça-feira (20), ao obter a progressão da pena para o regime aberto.

Ela foi considerada culpada por homicídio triplamente qualificado junto com o pai da garota, Alexandre Nardoni, por ter matado a menina e a jogado da janela do apartamento onde moravam, na zona norte de São Paulo.

A madrasta de Isabella Nardoni foi condenada inicialmente a 26 anos de prisão e cumpria pena na penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, no interior de São Paulo.

Segundo a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), foi cumprida a decisão judicial proferida pela 2ª Vara das Execuções Criminais de Taubaté que beneficiou Anna Carolina Jatobá com a progressão ao regime aberto. “A reeducanda saiu nesta terça-feira (20), às 19h45, da Penitenciária Feminina I de Tremembé”, informou a secretaria, em nota.

Anna Carolina conseguiu remir uma pequena parte da pena ao trabalhar como costureira na prisão. Em 2017, ela migrou para o regime semiaberto, obtendo a possibilidade de trabalhar ou estudar fora e voltar para o presídio para dormir. Nesse regime, o preso tem direito a cinco saídas temporárias por ano — e pode retornar à prisão após até sete dias.

Em 2020, Anna Carolina acabou voltando temporariamente ao regime fechado, ao ser flagrada realizando uma chamada de vídeo de dentro do presídio.

Em maio, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) determinou que a Justiça de São Paulo examinasse o pedido de Anna Carolina Jatobá de progressão ao regime aberto. Os ministros analisaram um recurso da defesa da detenta depois que o juiz determinou a realização de diferentes exames criminológicos e de teste psicológico antes de decidir pela progressão da pena. Um dos exames exigidos foi o teste de Rorschach, utilizado com manchas para examinar as características da personalidade.

Pouco mais de 20 dias depois, nesta terça-feira, a Justiça paulista se manifestou favorável à progressão para o regime aberto, o que levou à saída de Anna Carolina Jatobá da prisão.

Alexandre Nardoni, que foi condenado a 30 anos de prisão, continua encarcerado.

Fonte: Blog da Suelda Santos